Ana Maria Veroneze Beira: uma empresa se faz com pessoas e projetos que transformam vidas

Presidente do Conselho da Ypê, Dona Ana é presença ativa no relacionamento com a comunidade, meio ambiente, responsabilidade social e profissionais da empresa


 

Acompanhar Dona Ana Maria Veroneze Beira, a Dona Ana como é conhecida, durante um pequeno trajeto da sala de reunião à recepção da Ypê, em Amparo, é parar por diversas vezes pelo seu jardim repleto de orquídeas e árvores frutíferas para cumprimentar os colaboradores, muitos deles contratados desde as primeiras décadas da empresa. Dos 68 anos de história da Ypê, fundada em Amparo, Dona Ana faz parte de pouco mais de 50 anos, muitos deles ao lado de seu esposo, Waldyr Beira, que já faleceu e de quem ela se orgulha de contar sobre o profissional inovador que ajudou a construir a empresa que hoje opera em três estados brasileiros e conta com 5 mil colaboradores. Atualmente, a empresa é presidida pelo filho do casal, Waldir Beira Júnior.

Dona Ana é sinônimo de trabalho e humildade e leva para vida a frase do seu marido: o trabalho tudo vence. Ao falar sobre trabalho, sonhos e colaboradores da Ypê, Dona Ana se enche de orgulho e brilho nos olhos direcionando-os para a sua equipe, que participou da entrevista ao Break e de quem ela faz questão de estar ao lado. Além de ocupar a Presidência do Conselho de Sócios e Família, a empresária se dedica a trabalhos sociais como o SEPI (Serviço Espírita de Proteção à Infância) que foi iniciado há 43 anos juntamente com Waldyr Beira e que hoje atende 700 crianças e adolescentes. Em entrevista ao Break, Dona Ana comenta também sobre os projetos ligados à sustentabilidade e responsabilidade social que a Ypê apoia e desenvolve junto às comunidades e ONGs e destaca o terceiro ano consecutivo de patrocínio no EPTV na Escola em Campinas, projeto que ela já participou da premiação e se entusiasmou com os textos dos adolescentes. É por acreditar nos sonhos das pessoas que a Dona Ana investe em ações que transformam vidas. Confira entrevista!  

Ana Maria Veroneze Beira, a Dona Ana, detalha com orgulho os projetos sociais que a Ypê investe: EPTV na Escola está há três anos presente no planejamento da empresa 

Dona Ana, conte-nos como tudo começou, a história da Ypê, a trajetória com o seu marido
A empresa foi fundada em 1950 com o meu sogro, o irmão e o meu marido Waldyr. Logo depois de alguns anos, a empresa ficou com o meu marido e aí começou o nosso trabalho. Primeiramente nós fazíamos o Ypê em pedaços, que é o sabão mais antigo e havia um maquinário todo especial. Tinha um tacho enorme, era praticamente feito manualmente. Então o nosso início foi assim. Hoje chegamos aos 68 anos e com mais unidades além dessa matriz em Amparo. Temos uma unidade em Salto, no interior de São Paulo, na Bahia e em Anápolis, Goiás.

Tem algum momento marcante dessa história?
Acredito que toda essa trajetória da nossa empresa é constituída de fatos muito marcantes, principalmente o lançamento dos nossos produtos. Por exemplo, quando nós lançamos o detergente Ypê transparente, o clear, e outros produtos que até os dias atuais continuamos colocando no mercado. Há fatos marcantes de quando precisamos usar de um trabalho mais atuante devido às dificuldades do próprio mercado e os problemas do país. O importante é que quando estamos juntos trabalhando com a família, tudo vence. Como dizia o Waldyr, "o trabalho tudo vence". Trabalhando com coragem, com dignidade e com ética, nós chegamos até aqui.

E como é o seu dia a dia como presidente do conselho?
É sempre de trabalho, é sempre de estar presente, junto dos meus filhos e procurando saber dos problemas da empresa, tendo conhecimento. Eu acho que uma coisa muito importante é estar ao lado dos nossos colaboradores e dos nossos funcionários e saber os problemas de alguns deles que precisam de apoio, de ajuda. É estar perto de cada um deles.

Tem algum valor que a senhora busca passar para os seus filhos, para os colaboradores, ou até mesmo para as crianças do SEPI?
Todos os valores da nossa empresa são muito importantes! Tem um valor muito importante para todos nós: a coragem, a força para vencer através da ética, da honestidade e da humildade. Temos um valor dentro dos valores da empresa, que é a humildade. Isso é muito importante porque ela faz com que todos nós nos sentimos iguais a todos os nossos colaboradores, estar ao lado deles buscando a promoção de cada um, o crescimento de cada um dentro da empresa, porque se a empresa cresceu durante todos esses anos, é muito importante nós sabermos que os nossos colaboradores crescem conosco. Temos funcionários de 47, 49 anos de empresa e quando a gente passa nas Ypês e vê os colaboradores lá dentro trabalhando com alegria, não tem nada melhor para nós. Não existe alegria melhor do que isso, de ver o ser humano crescer junto com a nossa empresa.

Conta um pouco do detergente transparente, que a senhora estava falando que o seu marido queria fazer na década de 80, buscando inovar na produção.
O Waldyr sempre quis fazer o detergente clear, mas era uma inovação no mercado porque na época os detergentes eram coloridos e ele queria fazer esse translúcido. O nosso consultor até nos falou "mas será que o mercado vai aceitar, porque ele é totalmente diferente". Mas aí houve uma teimosia boa do Waldyr e nós fizemos o clear e ele se tornou um detergente super aceito no mercado e tem esse sucesso até os dias de hoje.  

Dona Ana ressalta valores e dedicação do seu esposo Waldyr, um dos fundadores da Ypê e do SEPI: trabalho, humildade e respeito ao próximo fazem parte da missão da empresa e de seus colaboradores 
Vocês possuem vários projetos e também apoiam ONGs. Gostaria que a senhora contasse um pouco das ações da Ypê em relação à sustentabilidade.
Nós temos o projeto em parceria com o SOS Mata Atlântica, que é o "Floresta do futuro", em que nós já plantamos 650 mil árvores. Para esse ano, há um projeto de plantar mais 100 mil, então são 750 mil árvores. E monitoramos os rios também em parceria com o SOS Mata Atlântica, que abrange mais ou menos 3500 voluntários que monitoram 230 rios no Brasil.

De onde surgiu a ideia de começar o SEPI, projeto que muito te orgulha?

É, esse projeto tem 43 anos e começou com um grupo de amigos. Eu e o Waldyr sempre dávamos assistência a algumas comunidades daqui de Amparo, e notamos que em uma comunidade em especial havia senhoras, moças que não tinham a oportunidade de trabalhar porque não tinham onde deixar as crianças. Nos juntamos a um grupo de amigos e a um grupo espírita e formamos a instituição a qual é conveniada da Química Amparo, do Ypê. O SEPI (Serviço Espírita de Proteção à Infância) começou há 43 anos com 20 crianças e hoje temos 700 crianças e mais de 14 projetos na área da música, da arte, do teatro, do esporte. Temos também três projetos muito especiais em parceria com a polícia militar, que é o policial mirim; com os bombeiros que é o bombeiro mirim, e com o exército que é o recruta mirim. Contamos com 70 funcionários entre eles, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, psicopedagogas e é um projeto muito grande que abrange cerca de 71 bairros da nossa cidade.

Como é para a senhora ver a Química Amparo crescendo cada vez mais, transformando vidas?

É muito importante porque toda a instituição como todas as pessoas que são fundadoras de uma instituição têm um sonho. Quando a gente vê esse sonho realizado, transformando vidas, podendo proporcionar àquelas crianças ou adolescentes meios para que eles sejam inseridos na sociedade, ocupando um lugar, seja a profissão em que eles escolherem mas com ética, educação, conhecimento, a gente fica feliz, só pode ficar muito feliz.

A senhora participa de vários outros projetos, por exemplo o patrocínio no EPTV na Escola que a senhora acompanhou a premiação na EPTV.
Sim, estamos no terceiro ano de patrocínio do EPTV na Escola.

Como surgiu essa parceria?

A Ypê apoia muitos projetos de educação. Eu acho o projeto EPTV na Escola maravilhoso. O tema de 2016 que foi a primeira vez que nós patrocinamos: "O Brasil que eu quero ajudar a construir". É disso que nós estamos precisando, de pessoas, de adolescentes, de jovens que sejam levados a sonhar e a ajudar a construir um país melhor porque o nosso país é maravilhoso, é rica a nossa gente, mas nós precisamos também lutar por isso. Esse projeto ajuda muito nisso, é muito bom, estão de parabéns!

Para vocês, o que significa a parceria com a EPTV?

Participei dessa última entrega de prêmios e vi o entusiasmo das crianças e o orgulho dos pais. Isso é muito importante.

A senhora acompanha o quadro "Quem quer ser um milionário?" no programa Caldeirão do Huck e que é patrocinado pela Ypê?
Acompanho todos os sábados, todos os programas porque acho formidável e também vejo os sonhos das pessoas. Eu acho que o sonhar faz parte da trajetória do ser humano porque aquele que não sonha, ele não tem um objetivo na vida. O nosso sonho é esse: continuar junto dos nossos colaboradores, com aqueles que estiveram junto desde a primeira hora até os que estão chegando, e construir esse mundo melhor.

A senhora poderia contar um pouco mais do Projeto Você e a Paz?
A Química Amparo é parceira do "Projeto Você e a Paz", que iniciou na cidade de Salvador em 1998 e foi fundado pelo médium espírita Divaldo Franco. O projeto se estende por todo o Brasil e alguns países da Europa, e nos tivemos a felicidade de poder trazê-lo aqui para Amparo. Ele já aconteceu pelo sexto ano consecutivo e aqui em Amparo começa com uma Caminha em prol da paz. Neste ano, contamos com mais de 5 mil pessoas caminhando pela paz. Durante todo o dia e toda a tarde, nós temos mais de 20 parceiros entre os clubes de serviços, hospitais, médicos, voluntários e escolas de cabeleireiro dando apoio e atendendo as pessoas. A Santa Casa, por exemplo, realizou mais de 1200 atendimentos, além de 200 eletrocardiogramas feitos pelo médico voluntário André e outros serviços como corte de cabelo. A OAB também participa. E para fechar o evento, à noite tivemos um show do Renato Teixeira e Almir Sater. Ao todo mais de 15 mil pessoas participaram desse dia especial que é o "Você e a Paz". O mais importante é que essa ideia de paz fique na mente e no coração das pessoas, da necessidade de termos uma convivência mais pacífica com o nosso próximo, a paz no trânsito, na família, na educação e em todos os lugares onde nos pudermos estar.

O Natal da Ypê também é muito comentado.
Sim. No final do ano, os nossos jardins se transformam em uma casa de Papai Noel, cada ano com um tema específico. Aos finais de semana, todo mundo pode visitar os nossos enfeites de Natal. Quero convidar a todos para este ano, que terá inauguração dia16 de novembro e será uma surpresa muito agradável.

Qual é o seu maior sonho, Dona Ana?
O sonho é continuar fazendo o que fizemos até agora porque eu acho que trabalhando com gente, proporcionando meios para que as pessoas se desenvolvam na educação e na saúde e proporcionando a geração de empregos, estamos ajudando a construir um mundo melhor, que é um dos nossos sonhos e era do meu marido do Waldyr. Com certeza é dos meus filhos e nosso também. E acho que de todos os nossos colaboradores porque eles nos ajudam a construir um mundo melhor porque estão conosco.